Microempreendedores são os que mais devem!

Por Carlos Alberto Garcia Machado - 03/10/2012

O Jornal do Comécio do RS desta quarta-feira,  03/10/2012, publicou matéria sobre a inadimplência tributária das empresas, sendo que, em trecho especifico da matéria faz menção aos  Microempreendedores Individuais, que segundo especialistas são os que mais devem impostos, estudo feito no primeiro semestre de 2012 que registrou um índice de inadimplência de 58,75% dentre todos os cadastrados no programa em esfera federal. No Rio Grande do Sul, o indicador apontou que 52,56% não custearam a parcela tributária.

Pergunta que devemos fazer: O Microempreendedor Individual  precisa de assessoria contábil? Está assessoria deve ser gratuita? Em caso de gratuidade quem fará?

Abaixo trecho da matéria do Jornal do Comércio.

Microempreendedores são os que mais devem

Se já é difícil para as empresas administrarem o pagamento dos tributos, para os microempreendedores individuais não tem sido diferente. Mesmo com uma parcela tributária fixa de aproximadamente R$ 30,00, no primeiro semestre foi registrado índice de inadimplência de 58,75% dentre todos os cadastrados no programa em esfera federal. No Rio Grande do Sul, o indicador apontou que 52,56% não custearam a parcela tributária.

O presidente do Sebrae-RS, Vitor Augusto Koch, acredita que esse fenômeno tenha justificativa mais plausível em questões culturais do que financeiras. De acordo com ele, o processo da formalização ainda é muito novo para uma importante fatia dos empreendedores individuais, fator que colabora para os altos índices. “Na situação informal, esse trabalhador não precisava recolher, e com as novas exigências há uma falta de hábito sobre o recolhimento das guias”, aponta.

Koch explica que muitos dos participantes do programa não “percebem” a hora de fazer uma nova emissão dos boletos de recolhimento dos impostos por falta de costume. Ainda assim, o presidente reitera que a situação preocupa a entidade, que vem tentando sensibilizar esses empreendedores para que se atentem, pois a inadimplência tributária ainda traz outros ônus, como a seguridade social, em que o empreendedor deixa de ter cobertura ao não honrar os tributos. “Estamos com uma série de atividades de conscientização da importância da regularidade dos pagamentos”, diz Koch.  Entre as ações, palestras e workshops compõem o arsenal para regularizar a parte tributária dos micro negócios.